segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Reciclagem de Tendências

Vagando por informações de moda com, no mínimo, cinco anos de idade, cheguei a algumas revistas que – com muita astúcia inconsciente – nunca tive coragem de colocar fora. Ali percebi, mais uma vez, outra constante de quem conhece e aprecia a moda: ela é, meeesmo, totalmente reciclável. Não na forma pulcra, lúdica, ambiental da palavra. Queria eu.

Algumas décadas simbólicas continuam influenciando diretamente os anos 2000, que quase não têm características próprias. Chegamos, enfim, ao século vinte-e-um. Platinados e metais reverenciavam essa tão esperada época que, agora, nada tem de diferente das outras. E pior: adquiriu um raio de absorção vintage/cult tão grande que se inspira de 1920 até 1980.

O verão 2009 nem chegou e, pra mim, nem vai chegar. Sorte. Na província se verá o de sempre, padrão: saias short de nylon, high-heels acrílicos na areia, barrigas impossíveis pra fora, cortininhas abertas, depilações atrasadas, desbundes bizarros sob o som de qualquer chanchada pós-moderna em caçambas de Chevy 500 DL no meio das avenidas e, ainda, com franjas coladinhas na testa, de suor. Uma maravilha.

Pelas experiências litorâneas, concluo que a noção reside nos corpos dos trabalhadores, estudantes sem dinheiro ou estagiários remanescentes da antiga lei.

A moda dos anos doismil – incluindo o nosso magnífico verão 2009 em Porto Alegre - é distinta: há um século de alento para os criadores. Dali são tiradas referências pontuais de cada década fazendo voltar a saruel, a boca-de-sino, os florais e chapelões dos 70's, make carregada anos 80 com olhos destacados, bucles e cabelões 50's, 60's relançados por Amy Winehouse, incorporada por estilistas e modelos em editoriais inesquecíveis, assim como a linha do seu delineador estilo gatinha. Giant sunglasses que foram, voltaram e foram com as junkie celebs que, agora, trazem o Rayban Wayfarer pras caras new rave, age, wave. Tudo lembrança, tudo novo. Safari Saint Laurent, geek style, coletes, casaquetos, pernocas super-de-fora e o meia pata - I love Italian Shoes, Stiletto Power, PRADA, Dior, Luis Vuitton ou a octgenária Salvatore Ferragamo - cada vez mais altos!!!

Não reclamo: sou suspeita. Não há nada melhor que rememorações fashion e eu não agüentava mais esperar o reconhecimento obsoleto dos anos 80. Eles sempre foram tão desprezados!!!



Reportagem: Gabriela Casartelli

Um comentário:

Helga Kern disse...

Oi Gabriela!
Adicionei vocês por lá também.
Adorei o blog!
bjs